A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, neste 17 de abril, manteve, por unanimidade a decisão monocrática da Ministra Carmen Lucia de que o Conselho Federal de Psicologia deve continuar impedindo que seus filiados, psicólogos, ofereçam tratamento de reversão da homossexualidade ou, tratamento mais conhecido como cura gay.

É importante lembrar que a Organização Mundial da Saúde, desde maio de 1990, ou seja, já há trinta anos, retirou a homossexualidade da lista de doenças de que ela fazia indevidamente parte.

Não sendo considerada doença, a homossexualidade não pode ser “tratada” por psicólogos para tentarem sua reversão, ainda que a pedido do paciente.

Esta foi a decisão novamente do Supremo Tribunal Federal.

Uns poucos psicólogos haviam movido esta ação contra o Conselho Federal de Psicologia para que ele permitisse o tratamento dos pacientes que lhes chegavam.

É fato que um psicólogo que aceita um paciente que pede por um tratamento como este e, não o alerta de que seu problema psicológico é outro e não a sua homossexualidade, não está cumprindo com o seu juramento profissional e, está fazendo juízo de valor ao atender esse paciente.

Assim, não aceitemos mais que ninguém nos acuse de doença, de falta de tratamento ou qualquer outro estigma de que já fomos vítimas. Obviamente, eu falo isso para nós que temos mais idade.

Essa nova geração, que se descobre gay na adolescência, em sua grande maioria, não todos, está de bem com sua condição sexual. Todavia, o preconceito e a homofobia ainda não acabaram no Brasil, não acabaram no mundo também mas, especificamente no Brasil este é um problema grave.

De qualquer modo, mais uma vitória foi alcançada e, esperamos agora que o Conselho Federal de Psicologia puna os profissionais que oferecerem esse tipo de tratamento a quem quer que seja, daqui pra frente. Não há mais justificativa legal alguma por parte deles para oferecer esse tipo de tratamento em seus consultórios…

Vitor Vicente

Vitor Vicente

Colunista - Coluna Vitor Vicente

Formado em Capelania Social pelo IDICAB, estudante de Enfermagem, Morador de Londrina e apaixonado por escrever e se manter atualizado no mundo.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do autor, não refletindo necessariamente a opinião institucional do Coletivo Movimento Construção – Parada LGBTI+ de Londrina. 

Mais de Vitor Vicente

Reviravolta: Por ser Gay está APTO a doar sangue!

Reviravolta: Por ser Gay está APTO a doar sangue!

O Supremo Tribunal Federal conquistou maioria dos votos, 6 dos 11 totais até agora, para impedir restrições à doação de sangue por gays, um julgamento que já se arrasta há bastante tempo. A votação ainda deve se estender a outras sessões para concluir mais 5 votos de...

Homofobia já é um crime!

Homofobia já é um crime!

Ser LGBT no Brasil é ter que resistir bravamente Contra uma série de problemas ódio, preconceito, desinformação e um monte de condutas violentas que nos atravessam todos os dias. Mas apesar de sermos um dos países que mais mata LGBTs no mundo, 2019 foi o ano em que a...

Mais colunas

Habemus farofa – e das boas!

Habemus farofa – e das boas!

Oi, menine! Tá boa, santa? Depois de um longo e tenebroso inverno no deserto da música pop contemporânea, fomos todas, todos e todes contemplados com farofa da melhor qualidade. Em tempos de pandemia e isolamento social, Lady Gaga com o seu Chromatica reafirma o poder...

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Nessa última semana, em diversos países pelo mundo, as pessoas se mobilizaram em protestos diante dos crimes de racismo e discriminação cometidos contra os negros, em especial no caso de George Floyd. Ele, afro-americano, morreu em 25 de maio de 2020, vítima do Estado...

Leia mais

Brasil registrou 124 assassinatos de transgêneros em 2019

Em 2019, pelo menos 124 pessoas transgênero, entre homens e mulheres transexuais, transmasculinos e travestis, foram assassinadas no Brasil, em contextos de transfobia. Os dados estão no relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) divulgado no...

Para sugestões de pautas a redação, envie um e-mail para [email protected]