Relatório da Anistia Internacional divulgado nesta quinta, 27, aponta que o ano de 2019 foi marcado por retrocessos para os direitos humanos no Brasil. O levantamento anual mapeou o cenário de 24 países das Américas.

Para a organização internacional, em vez de criar mecanismos para promover o diálogo e tratar das preocupações da população, autoridades dos países mapeados recorreram à violência no policiamento de protestos e ao aumento da militarização das operações de ordem pública.

No caso do Brasil, a Anistia afirma que o presidente Jair Bolsonaro e outras autoridades mantiveram um discurso abertamente contrário aos direitos humanos e que isso foi traduzido em medidas administrativas e legislativas.

“2019 foi um ano de retrocessos. Os ataques aos direitos humanos no Brasil foram tão brutais, que parecíamos estar vivendo antes da Constituição Federal de 1988, que nos garante direitos fundamentais. A retórica de linha dura que autoridades federais e estaduais adotam abriu espaço para violências cometidas, também por agentes do Estado, especialmente contra defensores e defensoras dos direitos humanos, negros e negras, moradores de favelas, indígenas, pessoas LGBT e mulheres”, afirma Jurema Werneck, secretária executiva da Anistia Internacional Brasil.

Fonte: https://flip.diariodaregiaodigital.com.br/edicao/impressa/7159/28-02-2020.html?all=1

Mais Notícias

STF decidirá em maio se gays podem doar sangue em pandemia

STF decidirá em maio se gays podem doar sangue em pandemia

O Supremo Tribunal Federal ( STF ) deve analisar em maio uma ação que pode permitir que homens que tiveram relações com outros homens doem sangue sem restrições. A reportagem é do portal UOL. Atualmente, o Ministério da Saúde exige um ano sem relações sexuais para que...

Confira nossas Colunas

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Nessa última semana, em diversos países pelo mundo, as pessoas se mobilizaram em protestos diante dos crimes de racismo e discriminação cometidos contra os negros, em especial no caso de George Floyd. Ele, afro-americano, morreu em 25 de maio de 2020, vítima do Estado...

LGBTs da História: Mario de Andrade

Mário Raul Morais de Andrade, autor do romance “Macunaíma”: o poeta e prosador foi o intelectual que sedimentou as ideias revolucionárias da Semana de Arte Moderna de 1922 e contribuiu para mudar a linguagem da literatura brasileira. Poeta, escritor, crítico...

Dedo no cu e gritaria

Sempre antes de criar um conteúdo para coluna, busco referências na literatura e no mundo da internet, e assim quando fui pesquisar sobre a próstata vi muito sobre a glândula masculina, e a possibilidade da próstata feminina, que apesar de anatomicamente diferente, há...

ENEM, um termômetro da indiferença

Nas últimas semanas, desde que nos vimos em condição de isolamento social, vários dos nossos planos foram, estão sendo ou serão adiados. Com relação aos estudos, muitos alunos das redes pública e privada tiveram suas aulas suspensas. Em um primeiro momento a suspensão...

Escola sem Partido… Vencemos! Vencemos?

Nas últimas semanas, após decisão do STF sobre a inconstitucionalidade de um projeto de lei que vetava discussões de gênero, voltou aos burburinhos o projeto de lei “Escola sem Partido”. Encabeçado pelo grupo homônimo “Movimento Escola sem Partido”, achei interessante...

Para sugestões de pautas a redação, envie um e-mail para [email protected]