Ao falarmos de gozo não podemos observar seu significado apenas a partir de uma conotação sexual, afinal gozo ultrapassa a definição do êxtase de uma relação sexual. Sendo assim, devemos ampliar seu conceito, pois, além de representar de forma coloquial sensações obtidas no sexo, encontramos a palavra gozo na psicologia, especificamente na teoria psicanalítica, além de podermos descrever os diversos prazeres que a vida nos proporciona.

E é sobre essa variedade de definições que a palavra gozo nos possibilita abordar diversas temáticas na coluna, descrevendo questões de sexualidade, psicologia e o que a vida tem a nos oferecer de forma prazerosa.

O dicionário Michaelis (2020) nos apresenta diversas definições para a palavra, como “tirar prazer daquilo que é bom, agradável ou salutar; desfrutar, fruir, regozijar(-se)”, ou define também “levar uma vida cheia de prazer” e “ dizer ou fazer algo para causar chacota ou riso; debochar, ridicularizar, troçar, zoar”, nos permitindo observar a amplitude de seus significados.

No campo da sexualidade gozo está relacionado com o ápice do prazer, permeando entre a ejaculação e orgasmo, definições que são completamente distintas, pois devemos compreender que ejaculação não significa ter orgasmos. Porém, ambas as sensações nos proporciona uma experiência que viabiliza desfrutar do prazer daquele momento.

Na psicologia, Freud em sua teoria psicanalítica, não classifica gozo como conceito, entretanto, ele caracteriza como mais-além do princípio do prazer. E utilizou o termo em diversas obras como no caso do “Homem dos Ratos” de 1990, que descreve gozo em uma perspectiva sexual.

No entanto, somente anos depois que Jacques Lacan em sua teoria insere gozo como conceito, ampliando suas possibilidades dentro da psicanálise. De acordo com Lacan (1969-70) “Eis porque podemos conceber que o prazer seja violado em sua regra e seu princípio, porque ele cede ao desprazer. Não há outra coisa a dizer – não forçosamente à dor, e sim ao desprazer, que não quer dizer outra coisa senão o gozo”, desta forma observa que gozo engloba o prazer e desprazer na construção do sujeito, e na relação com o outro.

Além das definições dentro área da psicologia e sexualidade, utilizamos o termo para dizer sobre as sensações de prazer que a vida nos propicia, como gozar de uma boa companhia, e regozijar de grandes momentos.

Diante disso, o objetivo da coluna é levar conhecimento através de uma leitura leve e dinâmica que possibilite compreender de forma simples os questionamentos da sexualidade e psicologia dentro da comunidade LGBTQIA+ e sua relação com a sociedade.

Além disso, dentro desse parâmetro é necessário visualizar a sexualidade de forma fluída, mostrando que a mesma não deve possuir regras e padrões impostos socialmente, e por isso, devemos lutar diariamente pelos nossos direitos de gozar dos nossos desejos e prazeres.

Pois vivemos em uma sociedade cis-heternormativa que inviabiliza comportamentos vistos como desviantes de um padrão estabelecido como uma norma a ser seguida. Não se enquadrar dentro desses parâmetros reflete no preconceito prejudicando a comunidade LGBTQIA+ em sua saúde física, como observamos o grande número de violência sofrida pelo público, afetando também sua saúde mental, desenvolvendo inúmeros transtornos mentais e sua saúde sexual que muitas vezes está relacionada com questões psicológicas.
Desejo com a coluna proporcionar inúmeros prazeres, e que o leitor possa se deleitar semanalmente a partir de diversos temas que serão abordados através de uma visão da psicologia e da sexualidade na contemporaneidade. Além desses conteúdos, em meu perfil do Instagram busco sempre desenvolver questionamentos visando indagar meus seguidores de seus comportamentos perante a sociedade, e de que forma estamos lutando por nossos direitos. Assim como, levar maiores informações sobre saúde mental e saúde sexual.

Quer saber mais? Segue lá: @fernandowveiga! Dessa maneira, podemos utilizar essa ferramenta para trocar conhecimentos e para sugestões de temas para a coluna.
Não se esqueça de que o importante é gozar da vida!

Mais de Gozo

Dedo no cu e gritaria

Dedo no cu e gritaria

Sempre antes de criar um conteúdo para coluna, busco referências na literatura e no mundo da internet, e assim quando fui pesquisar sobre a próstata vi muito sobre a glândula masculina, e a possibilidade da próstata feminina, que apesar de anatomicamente diferente, há...

Amor de Mãe

Amor de Mãe

Anualmente no Brasil comemoramos no segundo domingo do mês de maio, o dia das mães, a celebração surgiu nos Estados Unidos em 1905, quando Anna Jarvis e algumas amigas iniciaram um movimento para instaurar um dia que as crianças pudessem homenagear suas mães. Além...

Mais colunas

Habemus farofa – e das boas!

Habemus farofa – e das boas!

Oi, menine! Tá boa, santa? Depois de um longo e tenebroso inverno no deserto da música pop contemporânea, fomos todas, todos e todes contemplados com farofa da melhor qualidade. Em tempos de pandemia e isolamento social, Lady Gaga com o seu Chromatica reafirma o poder...

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Nessa última semana, em diversos países pelo mundo, as pessoas se mobilizaram em protestos diante dos crimes de racismo e discriminação cometidos contra os negros, em especial no caso de George Floyd. Ele, afro-americano, morreu em 25 de maio de 2020, vítima do Estado...

LGBTs da História: Mario de Andrade

LGBTs da História: Mario de Andrade

Mário Raul Morais de Andrade, autor do romance “Macunaíma”: o poeta e prosador foi o intelectual que sedimentou as ideias revolucionárias da Semana de Arte Moderna de 1922 e contribuiu para mudar a linguagem da literatura brasileira. Poeta, escritor, crítico...

Leia mais

Brasil registrou 124 assassinatos de transgêneros em 2019

Em 2019, pelo menos 124 pessoas transgênero, entre homens e mulheres transexuais, transmasculinos e travestis, foram assassinadas no Brasil, em contextos de transfobia. Os dados estão no relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) divulgado no...

Fernando Veiga

Fernando Veiga

Colunista - Coluna Gozo

Psicólogo e Sexólogo, especialista em Sexualidade Humana com ênfase em terapia e educação. Orienta seus estudos e trabalhos para as temáticas LGBTQIA+. Atua na área clínica com abordagem psicanalítica em atendimentos presencial e online. Psicólogo Social na Assistência Social do Município de Nova Fátima – PR. Trabalha com palestras direcionadas as vertentes da psicologia e sexualidade humana.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do autor, não refletindo necessariamente a opinião institucional do Coletivo Movimento Construção – Parada LGBTI+ de Londrina. 

Para sugestões de pautas a redação, envie um e-mail para [email protected]