Nunca se falou tanto em sexo como em nosso momento atual. Porém a sexualidade nunca foi tão reprimida por diversos setores da sociedade, como a política e religião. Muitos acreditam que o que faz uma pessoa ser o que é, seja somente o fator biológico como ter um pênis ou uma vagina. Assim causando grande dano a vida psíquica das pessoas. Para compreender o porque das nossas escolhas sexuais, se faz necessário primeiramente diferenciar o que é sexualidade, do que é sexual ou sexo. E o artigo dessa semana tem esse o objetivo.
Quando falamos do que é sexual ou de sexo significa que estamos tratando daquilo que é físico, visual ou até mesmo do ato sexual em sim mesmo. Entretanto, o ser humano é mais que a carne, é mais que o físico e muito mais que o visual.
Freud, além do seu tempo, trouxe para a sociedade uma outra visão em torno desse assunto, demonstrando que a sexualidade não se trata somente da união dos genitais, mas sim da forma como cada sujeito lida com suas satisfações. E ainda, demonstrou que a sexualidade estava presente no ser humano desde sua infância, o que gerou grande revolta na sociedade da época. (FREUD, 1907/2018 p. 83)
Ele percebeu também que muita gente ia na contramão daquilo que se dizia ser o natural, como por exemplo a atração pelo mesmo sexo e que isso não era algo de uma escolha consciente. Portanto, não tinha como dizer que o ser humano era guiado pelos seus instintos, até porque se ele fosse guiado por instinto, todo ser humano iria ter desejos e vontades iguais, assim como o joão-de-barro que constrói sempre da mesma forma a sua casa.
Deste modo, o fundador da psicanálise, descobriu o conceito de pulsão, definida como uma força constante, que nasce do interior do corpo e do qual nenhuma fuga é eficaz para aplacá-la. Ela é constituída, por representantes psíquicos que estão no inconsciente do sujeito, e que, por sua vez, afetam o seu corpo. (FREUD, 1915/2017) A pulsão tem por meta a sua satisfação e ela irá sempre se satisfazer parcialmente em algum objeto que está do corpo deste sujeito.
Em resumo, a sexualidade vai além de um corpo físico. Ela vai falar das satisfações que uma pessoa vai ter na sua vida, desde o seu nascimento e de como ela vai percebendo e significando essas questões dentro dela. A sexualidade, vai dizer do modo como cada um goza dos seus prazeres e da forma como cada um se posiciona diante deles. Com isso, há que se perguntar para nós mesmos: como está a satisfação dos nossos prazeres? Ou ainda como estamos tratando nossa sexualidade? Estamos de acordo com o nosso Desejo?

Mais de Papo Cabeça

Medo do desconhecido!

Medo do desconhecido!

Membro Analista do Instituto Lalangue – Clínica e Transmissão da Psicanálise. Pós Graduado em Saúde Pública pela Universidade Norte do Paraná e Psicanálise Clínica pela UNIFIL. Trabalha com Supervisão, Grupos de Estudos, Palestras e Análise Pessoal. Atendimentos...

Um Papo Cabeça sobre homossexualidade

Um Papo Cabeça sobre homossexualidade

A homossexualidade nunca foi tão discutida como algo da ordem do humano tal qual nos dias atuais. Ela vem ganhando corpo não apenas naquilo que toca à liberdade da prática sexual e ou afetiva, mas como uma forma de expressão cultural que vai muito além dos indivíduos...

Mais colunas

Habemus farofa – e das boas!

Habemus farofa – e das boas!

Oi, menine! Tá boa, santa? Depois de um longo e tenebroso inverno no deserto da música pop contemporânea, fomos todas, todos e todes contemplados com farofa da melhor qualidade. Em tempos de pandemia e isolamento social, Lady Gaga com o seu Chromatica reafirma o poder...

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Negro? Candomblecista? Na escola NÃO.

Nessa última semana, em diversos países pelo mundo, as pessoas se mobilizaram em protestos diante dos crimes de racismo e discriminação cometidos contra os negros, em especial no caso de George Floyd. Ele, afro-americano, morreu em 25 de maio de 2020, vítima do Estado...

LGBTs da História: Mario de Andrade

LGBTs da História: Mario de Andrade

Mário Raul Morais de Andrade, autor do romance “Macunaíma”: o poeta e prosador foi o intelectual que sedimentou as ideias revolucionárias da Semana de Arte Moderna de 1922 e contribuiu para mudar a linguagem da literatura brasileira. Poeta, escritor, crítico...

Leia mais

Brasil registrou 124 assassinatos de transgêneros em 2019

Em 2019, pelo menos 124 pessoas transgênero, entre homens e mulheres transexuais, transmasculinos e travestis, foram assassinadas no Brasil, em contextos de transfobia. Os dados estão no relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) divulgado no...

Wesley Diego de Godoy

Wesley Diego de Godoy

Colunista - Coluna Papo Cabeça

Membro Analista do Instituto Lalangue – Clínica e Transmissão da Psicanálise. Pós Graduado em Saúde Pública pela Universidade Norte do Paraná e Psicanálise Clínica pela UNIFIL. Trabalha com Supervisão, Grupos de Estudos, Palestras e Análise Pessoal. Atendimentos Presencial e Online.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do autor, não refletindo necessariamente a opinião institucional do Coletivo Movimento Construção – Parada LGBTI+ de Londrina. 

Para sugestões de pautas a redação, envie um e-mail para [email protected]